Webwriting: porque escrever bem é só o começo | Blog WIS

Webwriting: porque escrever bem é só o começo.

Quem não está no Google, não existe. Mas se você está e só aparece nos resultados de busca lá pela 20ª página, onde ninguém encontra ninguém, é quase como se também não existisse. Isto significa que você precisa de Webwriting na sua vida!

 

E o que é Webwriting?

É mais do que escrever um bom texto para a Internet.

O Webwriting tem como fundamento 4 princípios básicos que, quando praticados da forma correta, contribuem para que esse texto se torne relevante para os motores de busca, conquiste futuros visitantes para o seu site ou blog e aumente a expectativa de retorno deles!

Que princípios são estes? É o que você verá agora.

 

O princípio da Encontrabilidade.

Falando de forma clara: o usuário precisa encontrar você!

Pra isso você precisa aparecer nos resultados orgânicos de busca, preferencialmente na primeira página e entre os primeiríssimos colocados, porque o usuário dificilmente desce a barra de rolagem para ver os próximos da fila.

Então seu site ou blog deve conter se não todos, mas boa parte dos elementos necessários para ser lido e compreendido pelos buscadores como a melhor resposta (ou pelo menos uma das melhores) para a pesquisa do usuário. E para despontar no ranking!

Estamos falando de SEO e do uso correto de palavras-chave, títulos, subtítulos, meta-descriptions, tags de imagens e links. Também do tamanho dos parágrafos, do texto em si e até do uso de palavras de transição!

Importa ainda se você tem autoridade: quando outros sites bem posicionados, e que tratam do mesmo assunto, recomendam páginas do seu através de links nas páginas dele?

O Google e seus concorrentes trabalham um bocado para encontrar os melhores sites para seus usuários.

O objetivo é tornar incrível a experiência deles, para que esses usuários continuem confiando nas recomendações dos buscadores.

Ser encontrado realmente não é nada fácil. Mas é fundamental não deixar este princípio de lado, porque ele é o que abre as portas do seu conteúdo para o visitante.

 

O princípio da acessibilidade.

O usuário precisa ser bem recebido por você.

Se ele encontrar a sua página na pesquisa, clicar no link, entrar nela e de cara sofrer uma tremenda decepção, qual a possibilidade de continuar navegando ali? Zero. E de voltar algum dia? Menos zero.

Então o Webwriter (que é como chamamos esse redator que escreve para a Web, baseado nos princípios que estamos explicando aqui) precisa se unir ao UX designer nessa importante empreitada.

O objetivo é desenvolver um site, blog ou aplicativo de rápido carregamento, visualmente agradável e facilmente compreendido pelo usuário.

Menos é mais, então não exagere nas cores, efeitos, imagens. E nem nas palavras!

Se as “perguntas mais frequentes”, ou FAQ, são normalmente chamadas assim, não invente apelidos para a sua área de dúvidas como “questionamentos comumente realizados”.

Pense também na Inclusão. Você preenche a descrição das imagens ao fazer o upload delas? Essa informação é muito útil para o usuário com deficiência visual, pois o programa usado por ele, para leitura do site, lê esse dado para o usuário, que então entende o conteúdo da imagem.

 

 

O princípio da navegabilidade.

O usuário precisa entender onde está e saber para aonde vai. Esteja atento aos menus, submenus, seções, links.

Distribua as informações de forma que o usuário tenha vontade de “consumir” o site inteiro. Isso sem se perder quando resolver se aprofundar um pouco mais.

E que ele possa voltar para a superfície sempre que quiser, para recuperar o fôlego. E para mergulhar de novo no seu conteúdo depois.

 

 

O princípio da objetividade.

Você precisa ser entendido pelo usuário.

Do que é que você está falando mesmo? Musica? Então seja claro.

Não confunda o leitor com um dado no meio do seu texto sobre viagens especiais, a não ser que você esteja falando das playlists dos astronautas, entende?

O usuário é todo o tempo bombardeado por uma série de informações. E quer, ao entrar no seu site, ler sobre aquilo que ele achou que encontraria ali. Não sobre outra coisa.

E não enrole. Fale o necessário, na medida do seu conhecimento e da informação que você quer transmitir.

 

O Webwriting atrai visitantes. E negócios.

Webwriting tem a ver com prazer em escrever. Mas também com aprendizado e dedicação para criar um conteúdo certeiro, que vai te ajudar a alcançar resultados orgânicos melhores e a fechar bons negócios.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *